Sexta, 04 de Dezembro de 2020 10:46
(99) 98133-6017
Política ELEIÇÕES

Em Estreito, Léo Cunha vence em votação acirrada, e divide a cidade

Ele obteve 5.957 votos, seguido por Jackson Pereira com 5.616 votos e Dr. Cássio com 5.541 votos.

16/11/2020 00h19 Atualizada há 3 semanas
Por: Angra Nascimento
Léo Cunha venceu em disputa acirrada.
Léo Cunha venceu em disputa acirrada.

Em Estreito, Léo Cunha (PL) foi eleito com 5957 votos, seguido por Jackson Pereira (PRTB) com 5616 votos e Dr. Cássio com 5541 votos.

Os números mostram a disputa acirrada e a pequena diferença entre os candidatos, motivo que até o final da apuração houve emoção e alternância de posições. Até o último instante Dr. Cássio estava em segundo lugar, porém, nas últimas urnas Jackson tomou a posição e se consagrou como nome revelação no cenário político local.

Jackson Pereira, disputou a primeira eleição em Estreito, apoiado pelo seu pai, o Ex prefeito Zeca Pereira. O grupo de Jackson não teve nenhum candidato a vereador, a chapa foi formada apenas por candidato a prefeito e vice.

Dr. Cássio (DEM), candidato apoiado pela atual gestão de Cicin, recebeu votos transferidos do atual prefeito, que arregaçou as mangas e partiu para a campanha. Cicero Neco, mostrou sua força, pois o atual prefeito, conta com a aprovação de mais de 80% da população.

O que Cicin não contava era com o comportamento de alguns vereadores, que eram vistos como parceiros e acabaram dando as costas ao atual prefeito quando o assunto era pedir voto para Dr. Cássio.

Amaral Vilar (MDB), foi um dos que fez questão de pedir voto para Léo Cunha e até se aliar a Coordenadores da campanha do PL. Embora eleito, este tipo de comportamento marca para sempre a conduta de um vereador.

Cicero Neco também contou com traições piores, tanto durante a campanha, quanto no dia da votação. Foram flagrados inclusive vereadores aliados da atual gestão usando camisa azul e até pedindo voto para outros candidatos. Contudo Cicero Neco sai fortalecido da disputa, mostrando que tem liderança e aprovação da população.

Leo Cunha, terá a difícil missão de governar para os mais de 10.000 votos de oposição. Somando os votos de Jackson e Cássio, temos mais de 10.000 votos, enquanto ele se elegeu com pouco mais de 5.600 votos, o que mostra o tamanho do abacaxi a ser descascado. 

Cícero Neco deixa um legado, uma forma de governar, um capítulo escrito na história de Estreito. Qualquer um que fosse eleito teria a missão dura de fazer um trabalho igual a atual gestão, que foi a única na história a conseguir uma reeleição. Imagine com tamanha oposição, o dobro do número de votos que deu a Léo Cunha a vitória. Isso sem falar na camara de vereadores, pouco renovada e aparentemente também opositora de Léo Cunha em sua maioria.

Leo Cunha tem como vice Verbena Macedo, carregando o estigma da família Macedo e ainda Zéquinha Coelho, ex prefeito que foi condenado por diversas ações de improbidade. Tanta gente, pode ser o prenúncio de uma crise, pois onde tem muita gente faltam cadeiras.

Por fim, o legislativo local teve pouca renovação, o resultado oficial e definitivo não estava disponível até o fechamento desta matéria.

2 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.