Sexta, 25 de Junho de 2021 09:41
(99) 98133-6017
Policial ESCÂNDALO

Após ter tido bebê arrancado do ventre, amante de prefeito de Carolina teve que ir embora do País

Mulher acusa prefeito de realizar aborto e matar bebê dentro de motel. Caso aconteceu em 2017.

07/06/2021 10h19 Atualizada há 3 semanas
Por: Angra Nascimento
Erivelton é acusado de matar bebê dentro da barrigada da mãe.
Erivelton é acusado de matar bebê dentro da barrigada da mãe.

CAROLINA – Defensor da família tradicional, o prefeito de Carolina, Dr. Erivelton Neves, que é médico-obstetra, viu sem nome envolvido numa grande polêmica, após um caso extraconjugal seu ter vido à tona, recentemente. Ele é acusado pela amante, uma mulher identificada como Rafaela Maria Sousa, de ter realizado nela um aborto ilegal, sem o seu consentimento.

A barbárie, segundo a denúncia, teria sido praticada dentro de um motel, no estado do Tocantins. Segundo relato da mulher, Dr. Erivelton a teria atraído para o motel alegando que queria examiná-la através de uma coleta de sangue. 

De acordo com a mulher, o médico e prefeito, a anestesiou, com o auxílio de um enfermeiro, arrancou a criança da barriga da mãe, deixando-a supervisionada pela mesmo e saiu fugido do local.

O destino da criança, de acordo com a mãe, foi ser assassinada dentro de um outro quarto do mesmo motel, usado minuciosamente para a prática de infanticídio.

A mulher registrou um boletim de ocorrência, na Delegacia de Polícia da cidade de Augustinópolis, TO, em 1º de dezembro de 2017, e desde então foi embora do país por medo de represálias. 

A denúncia só veio à tona em 2021, através de um documento protocolado no Conselho Regional de Medicina do Maranhão, que o médico tem registro para exercer o registro da medicina. O prefeito ainda não se manifestou sobre as acuações. 

Saiba mais detalhes na matéria abaixo! 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.